1 September 2009

A Musica

A Musica
Você pode acreditar que Deus não existe.
Principalmente porque, a toda evidência, se Ele existe, lhe dá esse direito.
Você pode acreditar que Ele é uma invenção humana, a criação de Algo sobre o qual jogar todas as perguntas sem resposta, uma muleta psicológica ou uma ferramenta de dominação sobre as massas, qualquer coisa assim.
O que fico pensando é: como optar por essa saída e ainda assim continuar dando o lugar para um velhinho que sobe no ônibus?
C.S. Lewis dá outros exemplos:
Por que os nazistas são vilões?
Por que o que eles fizeram estava errado?
Ou, por que todas as nações em guerra usam os serviços de traidores do outro lado e até os recompensam com dinheiro e outros favores mas no fundo os desprezam?
Ou será que há alguma nação que tenha orgulho de seus traidores?
E é normal alguém orgulhar-se de ferir, maltratar e trair aos que ama?
O fato de você se indignar ao ver um corrupto no último escândalo do noticiário ou quando alguém fura uma fila na sua frente, ou o fato de você não achar que deve quebrar a cara de alguém que acabou pisando no seu pé no metrô acabam apontando para a existência de um padrão, uma regra moral que é coletiva e praticamente inconscientemente aceita.
Quem gravou esse padrão no coração de todo homem?
E o que você faz quando percebe que é incapaz de cumprir esse padrão todo o tempo, que de quando em vez você desliza?
Claro que algumas coisas são certas num tempo e erradas no outro, isso é dinâmico, mas de uma forma geral existem, em todos os tempos e lugares onde houver mais de um ser humano coexistindo, coisas que, mesmo sem punição ou recompensas imediatas espera-se que sejam feitas daquele jeito.
Esse padrão não pode ser algo atrelado a nosso instinto de sobrevivência da raça, porque uma fila indiana para comprar ingressos pro cinema não tem nada a ver com sobrevivência da raça e ainda assim é inaceitável que alguém a fure.
Vai além de sobrevivência, atinge o âmago do certo e do errado, do justo e do injusto e se não vem de fora, quem determina o que é justo e o que é certo?
Você pode continuar acreditando que Deus não existe, mas o que você faz quando percebe que o anseio mais profundo de seu coração não pode, simplesmente não pode, ser satisfeito neste mundo?
Tornando a Lewis:
"aquele anseio que nasce em nós quando nos apaixonamos pela primeira vez, quando pela primeira vez pensamos numa terra estrangeira, quando começamos a estudar um assunto que nos entusiasma, é um anseio que nenhum casamento, viagem ou estudo pode satisfazer."
Você pode acreditar que Deus não existe, mas o que provavelmente vá acontecer é que em algum momento você vai notar que há uma música sendo tocada.
É uma linda música.
Tem uma melodia irresistível.
E que talvez você tenha estado fora do tom ou fora do ritmo dela.
DEUS te abencoe amigo(a)
Abraco, Yola Tatiana Veiga Bastos

1 comment: